terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Sentir

Sinto forte o vento
Que vem da imensidão,
Do clarão dos desertos
Nas tardes de verão

Sinto o ar estático
Sem entrar nos pulmões,
O dia que leva embora
A saudade dos sertões

Sinto um gosto
De açucar não doce,
Das lembranaçs não vividas,
Dos sonhos que enterrei ali

Sinto passar o tempo
Que em pó faz sumir
Não tão boas as lembranças
Mas que sinto em sentir-se ir...

9 comentários:

  1. nunca curti muito os poemas...
    mas esses parecem ser legais
    :)

    ResponderExcluir
  2. "Sinto um gosto
    De açucar não doce,
    Das lembranaçs não vividas,
    Dos sonhos que enterrei ali"

    Lindo hein!
    Não tenho talento para escrever poemas mas adoro lê-los...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. "Sinto o ar estático
    Sem entrar nos pulmões,
    O dia que leva embora
    A saudade dos sertões"

    Achei isso divino.

    Parabéns, muito bom mesmo.

    Depois da uma passada no meu blog, http://enigmasdocotidiano.blogspot.com/

    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. "Sinto um gosto
    De açucar não doce,
    Das lembranaçs não vividas,
    Dos sonhos que enterrei ali"

    Isso foi tão Sheakspeare!
    Ganhou um Fã Garota!
    ^^
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. è legal poder expressar os sentimentos do jeito que vc quer

    ResponderExcluir
  6. Garota.com

    Sinto-me feliz
    Por estar aqui e ler
    Seus textos e ter
    Uma vontade que diz:

    - Por favor, pegue o giz
    Lapide, transforme, até escolher
    A melhor forma pra conter
    A tristeza do aprendiz

    O aprendiz que possui
    As incertezas da vida
    A qual, aos poucos, dilui

    Em direção a uma contida
    Felicidade que influi
    No dia, na noite, na lida...

    beijos, robertto

    ResponderExcluir
  7. Me fez sentir como me sinto. Sentindo o que ainda não senti e o que nunca gostei de sentir xD

    ResponderExcluir